Terceiro lugar no Concurso Público Nacional de Ideias para Elementos de Mobiliário Urbano de São Paulo

Terceiro lugar no Concurso Público Nacional de Ideias para Elementos de Mobiliário Urbano de São Paulo

 

Concurso Público Nacional de Ideias para Elementos de Mobiliário Urbano da Cidade de São Paulo, organizado pela SP Urbanismo, teve seus vencedores anunciados em 29 de novembro. O concurso buscou selecionar as melhores propostas para nove elementos ou famílias de elementos mobiliários: quiosques, sanitários públicos, abrigos em ponto de parada de táxi, papeleiras, bebedouros, paraciclos, balizadores e guarda-corpos.

Veja, a seguir, o projeto desenvolvido pelo escritório Térreo Arquitetos, que recebeu o terceiro prêmio.

“A cidade de São Paulo vive em seu cotidiano uma intensa pluralidade, de informações, culturas, classses sociais, acontecimentos e pessoas. É a cidade mais influente da América Latina e a cidade brasileira com maior atuação no cenário mundial. Considerada uma cidade-global, possui uma rede de conexões que extrapola os limites territoriais, abrindo margens para uma grande atuação e importância econômica.

Cortesia de Térreo Arquitetos

Mas não podemos esquecer das condições oferecidas por este grande tecido urbano que se formou ao longo da história, onde alguns lugares ficaram esquecidos e muitas vezes excluídos do contexto de cidade. Deste modo, a proposta busca o estreitamento entre as diversas realidades, promovendo maior conectividade entre os transeuntes e propondo um espaço mais democrático, onde todos possam se sentir uma parte importante deste grande coletivo.

Cortesia de Térreo Arquitetos

Pensando em uma proposta industrializada para redução de custos e ao mesmo tempo que tivesse a possibilidade de reuso em imensas diversidades, adotamos placas modulares perfuradas. Os painéis que compõe as famílias de mobiliários são formados por uma modulação de 45cm x 90cm, e possuem vários furos circulares que permitem diversificados usos e encaixes, estes furos são o resultado dos pontos de encontro das conexões de uma rede (colmeia). Simbolizando as intenções de união e encontro entre as diferenças que irão ser promovidas pelos equipamentos.

As placas são trabalhadas com superfícies em distintas cores, o que permite efeito lúdico relacionado a ótica e ângulo do observador, garantida através do movimento, como em painéis lenticulares (alteram conforme a posição observada). Alguns momentos a relação de luz e sombra é inserida com o mesmo fim, a busca de gerar movimento e interação. A montagem das peças garante flexibilidade e movimento, uma vez que permite diferentes disposições, assim como a troca e reorganização de elementos vinculados ao mobiliário.

Cortesia de Térreo Arquitetos

A modulação proposta permite que os painéis formem mobiliários em diferentes escalas, formando aglomerados que possibilitam o uso de bancos, papeleiras e paraciclos até quiosques, banheiros e ponto de táxi. Trazendo uma referência urbana, considera-se que a soma de elementos isolados formem uma cidade por inteiro.”

Arquitetos

Térreo Arquitetos

Equipe de Projeto

Felipe Kaspary, Paula Dilli, Rodrigo Reche

Ano do projeto

2016

via: ArchDaily

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.